Wednesday, January 04, 2006

Células estaminais

O que são células estaminais?

As células estaminais são células extraordinárias cujo destino ainda não foi "decidido". Podem transformar-se em vários tipos de células diferentes, através de um processo denominado "diferenciação".
Nas fases iniciais do desenvolvimento humano, as células estaminais do embrião "diferenciam-se" em todos os tipos de células existentes no organismo - cérebro, ossos, coração, músculos, pele, etc.



Como são utilizadas as células estaminais no processo da clonagem?
Os cientistas estão entusiasmados com a possibilidade de controlar o espectacular poder natural destas células para curar vários tipos de doenças. Por exemplo, as doenças de Parkinson e Alzheimer resultam de lesões em grupos de determinadas células no cérebro. Ao fazer um transplante das células estaminais de um embrião para a parte do cérebro com lesões, os cientistas esperam substituir o tecido do cérebro que se perdeu.
Num futuro próximo, a investigação das células estaminais poderá revolucionar a forma de tratamento de muitas "doenças mortais" como, por exemplo, acidentes vasculares cerebrais, a diabetes, doenças cardíacas e até mesmo a paralisia.
As atitudes relativamente à utilização de células estaminais embrionárias para fins de investigação e tratamentos médicos variam de país para país. Na Alemanha, por exemplo, a remoção de células estaminais de um embrião humano é considerada ilegal.
Uma vez que a utilização de embriões é uma questão controversa eticamente, os cientistas em todo o mundo estão à procura de outras fontes de células estaminais. As células estaminais encontradas na medula óssea dos adultos são uma possibilidade. Estas células têm o potencial para se "diferenciarem" em diferentes glóbulos vermelhos ao longo do ciclo da vida.
No futuro, os cientistas esperam manipular estas células estaminais adultas para que, em vez de produzirem apenas glóbulos vermelhos possam produzir células do cérebro, fígado, coração e células nervosas.
Contudo, é provável que as células estaminais dos embriões apresentem, entretanto, as perspectivas mais imediatas para novos tratamentos e curas.

Tuesday, December 13, 2005

O lado positivo da clonagem

É uma questão de tempo, porém, até que todas as dificuldades serem corrigidas - em especial na opinião de quem vê na clonagem uma esperança de vida para milhares de pessoas. Porque, afinal, a clonagem também tem o seu lado positivo.A técnica da clonagem não precisa de ser aplicada apenas na produção de seres vivos (clonagem reprodutiva). Pode ser utilizada também para fabricar células e órgãos (clonagem terapêutica). A partir de células-tronco extraídas de embriões clonados, os cientistas acreditam que, no futuro, poderão produzir corações, rins e outros órgãos para transplantes. Podem também cultivar células sadias que assumirão as funções de células defeituosas do corpo das pessoas ou corrigi-las, levando à cura de paralisias, diabetes, cirrose, hepatite e mal de Parkinson, entre outras doenças.A clonagem é uma caixa de surpresas e de muita polémica. De um lado estão os que condenam a intervenção humana na ordem criada por Deus, onde se encaixam os seguidores do Islã. O argumento é que a criatura não deveria ousar tornar-se criadora. De outro lado, há quem sonhe em ver um filho amado curado de uma doença grave com o auxílio das técnicas de clonagem.A discussão está lançada - e, agora, ampliada para boa parte da sociedade, pense e dê a sua opinião.


Como são produzidos os órgãos:


A esfera externa forma a placenta. Na esfera interna, que vai formar o bébé, estão as células-tronco. Retiradas do embrião, elas poderão ser clonadas ou cultivadas para curar doenças degenerativas e para desenvolver órgãos para transplante.
Cinco dias depois, o embrião tem cerca de 150 células organizadas em duas esferas ocas e en-caixadas.
O espermatozóide fecunda o óvulo e começa a divisão celular que forma o embrião.


Fonte de consulta

Técnica da clonagem

A clonagem é uma técnica de duplicação de um ser vivo, sem passar pela via sexual. O clone tem exatamente o mesmo patrimônio genético do ser clonado. Pela via sexuada, o filho sempre tem metade do patrimônio genético do pai e metade da mãe. Na natureza, o caso dos gêmeos idênticos é análogo a clonagem. Um ser vivo, no início um ovo fecundado, dividiu-se em dois e deu origem a dois seres geneticamente idênticos, do mesmo sexo e muito parecidos em termos de aparência. A clonagem tem duas finalidades: reprodutiva e terapêutica. Na primeira, busca-se repetir alguém: artista famoso, milionário, cientista genial... A pessoa doa uma célula e a partir dela é gerado um ser geneticamente idêntico, sem passar-se pela via sexual. É o que foi feito, de certa forma, no caso da ovelha Dolly.

consultar fonte

A clonagem terapêutica, muitas vezes confundida com terapia celular, é a transferência de núcleos de uma célula para um óvulo sem núcleo. Ela nada mais é do que um aprimoramento das técnicas hoje existentes para culturas de tecidos, que são realizadas há décadas. A grande vantagem é que, ao transferir o núcleo de uma célula de uma pessoa para um óvulo sem núcleo, esse novo óvulo ao dividir-se gera, em laboratório, células potencialmente capazes de produzir qualquer tecido.

Clonagem terapêutica

Os avanços da clonagem resultam em terapias com capacidade para eliminar as respostas imunológicas associadas à transplantação de tecidos.No entanto, contrariamente à clonagem reprodutiva, que pretende a produção de organismos viáveis completos, a clonagem terapêutica humana não pretende avançar para além dos primeiros estágios do desenvolvimento embrionário; o seu objectivo é a obtenção de células percursoras pluri- -potentes que constituam uma fonte de células de substituição para a Engenharia de Tecidos e Terapias de Transplantação.

Friday, November 18, 2005

Argumentos a favor


Um casal que não pode ter filhos por um processo natural, o não possa fazer através da clonagem.

- A interrupção não desejada não no desenvolvimento de um feto, não possa ser concluída através da clonagem.

- Um casal homossexual não possa ter filhos através da clonagem.

- Uma criança morta prematuramente não possa reviver através da clonagem.

Tuesday, November 15, 2005

Algumas noções sobre o processo da clonagem

Como se processa a clonagem?
A clonagem é o procedimenteo científico que consiste em pegar o material genético de um organismo para obter outro idêntico, denominado clone. Através da clonagem, não há uma união de óvulos com espermatozóides.
É verdade que a clonagem terapeutica ainda nao proporcionou resultados reais, mas tambem devido a questões éticas e morais ainda nao se publicaram resultados concretos de uma eventual clonagem em seres humanos.
A técnica da clonagem consiste em pegar o material genético de uma célula de um paciente para depois fazer a sua fusão com um óvulo. Isto formaria um embrião "sintético". Deste embrião são extraídas as células-mãe, que seriam controladas para desenvolver-se como células de uma natureza específica (musculares, neurológicas, etc.).Estas células "perfeitas" seriam implantadas no paciente para supostamente curar a imperfeição orgânica ou a doença.

Clonagem para fim terapeutico:
Alem da clonagem nao ter dado resultados concretos, pensasse que pode tratar doenças como o diabetes, Parkinson, Alzheimer, fibrose quística, esclerose múltipla, acidentes neurovasculares, alguns tipos de câncer, leucemia, artrite reumática e algumas doenças cardiovasculares.

Clonagem em animais:
Não existem objeções morais quanto às clonagens animais, uma técnica que se pratica há alguns anos de maneira experimental. Esta prática, além de melhorar a reprodução de animais de abate, barateando o custo de certas carnes, poderia eventualmente ser utilizado par salvar espécies em extinção.

Clonagem_ uma mais valia no campo da saúde

A clonagem pode ser vista "como uma luzinha ao fundo do tunel", no que diz respeito ao tratamento de algumas doenças. A clonagem tem de ser encarada como uma mais valia no campo de ciência. Senao acredita aqui tem alguns exemplos de como a clonagem é muito importante para fins terapeuticos: imagine que tinha uma doença que estava a destruir lentamente partes do seu cérebro. Os tratamentos actuais apenas reduzem os sintomas enquanto a doença continua a provocar lesões no cérebro. A clonagem oferece a esperança de uma cura.Os cientistas iriam produzir um embrião clonado utilizando o ADN das suas células epidérmicas. Em seguida, iriam retirar células estaminais deste embrião, transformavam-nas em células cerebrais e fariam um transplante para o seu cérebro.A clonagem é uma maneira diferente de utilizar células estaminais para curar uma doença. Algumas pessoas preferem esta forma de obter estas células. Afinal, um embrião clonado é uma cópia genética de alguém que está vivo e deu o seu consentimento. Todos temos o direito de decidir o que fazer com o nosso próprio ADN, ou não?

Tuesday, November 08, 2005

Clonagem com fim terapêutico

Clonados doentes que podiam ser tratados com células estaminais