Tuesday, December 13, 2005

O lado positivo da clonagem

É uma questão de tempo, porém, até que todas as dificuldades serem corrigidas - em especial na opinião de quem vê na clonagem uma esperança de vida para milhares de pessoas. Porque, afinal, a clonagem também tem o seu lado positivo.A técnica da clonagem não precisa de ser aplicada apenas na produção de seres vivos (clonagem reprodutiva). Pode ser utilizada também para fabricar células e órgãos (clonagem terapêutica). A partir de células-tronco extraídas de embriões clonados, os cientistas acreditam que, no futuro, poderão produzir corações, rins e outros órgãos para transplantes. Podem também cultivar células sadias que assumirão as funções de células defeituosas do corpo das pessoas ou corrigi-las, levando à cura de paralisias, diabetes, cirrose, hepatite e mal de Parkinson, entre outras doenças.A clonagem é uma caixa de surpresas e de muita polémica. De um lado estão os que condenam a intervenção humana na ordem criada por Deus, onde se encaixam os seguidores do Islã. O argumento é que a criatura não deveria ousar tornar-se criadora. De outro lado, há quem sonhe em ver um filho amado curado de uma doença grave com o auxílio das técnicas de clonagem.A discussão está lançada - e, agora, ampliada para boa parte da sociedade, pense e dê a sua opinião.


Como são produzidos os órgãos:


A esfera externa forma a placenta. Na esfera interna, que vai formar o bébé, estão as células-tronco. Retiradas do embrião, elas poderão ser clonadas ou cultivadas para curar doenças degenerativas e para desenvolver órgãos para transplante.
Cinco dias depois, o embrião tem cerca de 150 células organizadas em duas esferas ocas e en-caixadas.
O espermatozóide fecunda o óvulo e começa a divisão celular que forma o embrião.


Fonte de consulta

Técnica da clonagem

A clonagem é uma técnica de duplicação de um ser vivo, sem passar pela via sexual. O clone tem exatamente o mesmo patrimônio genético do ser clonado. Pela via sexuada, o filho sempre tem metade do patrimônio genético do pai e metade da mãe. Na natureza, o caso dos gêmeos idênticos é análogo a clonagem. Um ser vivo, no início um ovo fecundado, dividiu-se em dois e deu origem a dois seres geneticamente idênticos, do mesmo sexo e muito parecidos em termos de aparência. A clonagem tem duas finalidades: reprodutiva e terapêutica. Na primeira, busca-se repetir alguém: artista famoso, milionário, cientista genial... A pessoa doa uma célula e a partir dela é gerado um ser geneticamente idêntico, sem passar-se pela via sexual. É o que foi feito, de certa forma, no caso da ovelha Dolly.

consultar fonte

A clonagem terapêutica, muitas vezes confundida com terapia celular, é a transferência de núcleos de uma célula para um óvulo sem núcleo. Ela nada mais é do que um aprimoramento das técnicas hoje existentes para culturas de tecidos, que são realizadas há décadas. A grande vantagem é que, ao transferir o núcleo de uma célula de uma pessoa para um óvulo sem núcleo, esse novo óvulo ao dividir-se gera, em laboratório, células potencialmente capazes de produzir qualquer tecido.

Clonagem terapêutica

Os avanços da clonagem resultam em terapias com capacidade para eliminar as respostas imunológicas associadas à transplantação de tecidos.No entanto, contrariamente à clonagem reprodutiva, que pretende a produção de organismos viáveis completos, a clonagem terapêutica humana não pretende avançar para além dos primeiros estágios do desenvolvimento embrionário; o seu objectivo é a obtenção de células percursoras pluri- -potentes que constituam uma fonte de células de substituição para a Engenharia de Tecidos e Terapias de Transplantação.